17 – A Coreia Popular

Larissa Coutinho, João Carvalho e Luiz Lima irão desvendar os mistérios desse país que é um dos maiores produtores indiretos de fake news.

Este programa é criado e produzido por Revolushow e distribuído pela Half Deaf.
Produtor executivo – Gus Lanzetta
Gerente de projeto – Lídia Ronconi
Produção – Zamiliano, Larissa Coutinho, Diego Miranda, João Carvalho e Jones Manoel
Edição: Zamiliano

 

Seja você nosso padrim também em http://padrim.com.br/revolushow e concorra ao sorteio de um livro mensal, a partir de R$5,00, e tenha acesso a nossa newsletter a partir de R$10,00; ou através do PicPay em https://www.picpay.com/

Auxilie financeiramente este podcast ao realizar suas compras na Editora Boitempo pelo link https://www.boitempoeditorial.com.br/revolushow

Links:

O Corte de Cabelo – https://www.youtube.com/watch?v=2BO83Ig-E8E

Yeonmi Park a “refugiada” – https://www.youtube.com/watch?v=g2WPT0OEuHc

Constituição da Coréia do Norte – encurtador.com.br/bz237

Livro: A Revolução Coreana – encurtador.com.br/bIO05

Para Entender a Coréia do Norte: Cultura Defesa Economia Folclore História Política Saúde – encurtador.com.br/bBIX4

 

Cupons de Desconto

revolushow15 – 15% de Desconto nos posteres da Revolustore – https://revolustore.com.br/

Revolushow202007 – 10% de desconto nos seguintes títulos da editora Lutas Anticapital: Luiz Carlos Prestes textos resgatados do esquecimento; A cidadania burguesa e os limites da democracia; Elementos de Contraposição à Cidadania Burguesa nas Práticas Pedagógicas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST); Sob o Fio da Navalha: Relações Estado e sociedade a partir da ação política da Economia Solidária no Brasil; Reforma Nacional Democrática e Contrarreforma no ABC paulista (1956-1964) ; A conspiração contra a escola pública; A Estratégia Democrático Popular um inventário crítico; Do Beco dos Sapos aos canaviais de Catende os ciclos de lutas pelo socialismo autogestionário ; O Fetiche da Tecnologia e a experiência das fábricas recuperadas; Mundo do Trabalho Associado e Embriões de Educação para além do capital; Reatando um fio interrompido a relação universidade-movimentos sociais na América Latina; Empresas recuperadas pelos trabalhadores: ocupações e autogestão na Argentina; Educação Democrática, Trabalho e Organização Produtiva no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST); A Tragédia Educacional Brasileira no Século XX: diálogos com Florestan Fernandes; Trabalho, Sindicalismo e Consciência de Classe.

revolushow2019 – 15% de descontos nos livros da Editora Baioneta

REVOLUSHOW – 10% de descontos nos livros da editora Ciências Revolucionárias

REVOLUSHOW – 20% de desconto nos livros da NovaCultura

REVOLUSHOW10 – 10% Descontos em todas as camisas da Camisa Crítica

REVOLUSHOW – 20% Descontos em todas as camisas socialistas da Sublimo

REVOLUSHOW10 – 10% Descontos em todas as camisas da Veste Esquerda

 

Clube do Livro

1- Novacultura.info

2- Expressão Popular

 

Trilha sonora:

Enxugando o Gelo by BNegão & Seletores de Freqüência is licensed under a Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0 Brazil License. Disponível em: https://bit.ly/30dbBjv

In The Hall of the Montain King by Peer Gynt Suite no. 1, Op. 46 . Disponível em: https://bit.ly/2XsGGhx

 

SSX DIGITAL-

www.ssxdigital.com.br

 

Compartilhe este Post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

32 comentários em “17 – A Coreia Popular”

  1. Procurem assistir um dia a TV Norte Coreana, é um programa e 15min de imagens do Kin Jong Un em fábricas e bases militares, 8 horas por dia de programação se não me engano.
    E os filmes são horrorosos aliás

    1. Zamiliano Frossard

      Isso, porque Bud o cachorro jogador de Basquete é um filme maravilhoso, Zorra total é ótimo, e as 24h de programação das Tv’s abertas são show de bola.
      HAHAHAHAHA

    1. 1. Western DPRK Propaganda: The Worst, Occasionally Hilarious, and Often Racist, Lies (MAYER, Alyx. .)
      2. Anti-DPRK Propaganda War – a Cavalcade of Comedy (Em: .)
      3. Tourist who took camera inside North Korea shocked by ‘ordinary’ lives of citizens (DEAN, Sarah. .)
      4. Sobre a questão da fome na Coréia do Norte (Em: .)
      5. A Outra Realidade da Coreia do Norte «documentário» (Em: .)
      6. Por que os desertores da Coreia do Norte continuam mudando seus relatos? (IN THE NOW. .)
      7. O Povo do Marechal: 10 dias na Coreia do Norte [PT-BR] «documentário» (RT. .)
      8. The Haircut (2017) – A North Korean Adventure (Em: .)

  2. FERNANDO ALBUQUERQUE

    O cidadao me fala que a coreia do norte tinha a maior espectativa de vida na asia na decada de 80 eh bricandeira. Esse grafico mostra o contrario.

    https://www.google.ca/publicdata/explore?ds=d5bncppjof8f9_&met_y=sp_dyn_le00_in&hl=pt&dl=pt#!ctype=l&strail=false&bcs=d&nselm=h&met_y=sp_dyn_le00_in&scale_y=lin&ind_y=false&rdim=country&idim=country:PRK:KOR:USA:JPN:CHN&ifdim=country&tstart=-306273600000&tend=1429329600000&hl=pt&dl=pt&ind=false

    japao 76 vs coreia do norte 65. Nem da coreia do sul ou china era maior.
    Parei de escutar nessa parte, nao da para ver gente mentindo descaradamente dessa forma, insulto aos meus neuronios.

    1. Zamiliano Frossard

      Na verdade, Fernando, os dados atuais apontam que a coreia do norte tem a expectativa de vida de aproximadamente 71 anos, conforme o gráfico que você mesmo mostrou, o que faz eles retomarem e ultrapassarem a expectativa de vida que possuíam em 1992 (apesar de todos os embargos econômicos impostos ao país) e que estava pau-a-pau com a Coréia do Sul que nunca chegou perto do Japão, também.

      Fico feliz em saber que você só encontrou esse problema no podcast em suas uma hora e cinquenta de exposição e que desistiu de ouvir daí para frente. O que deve significar que todos os 99,5% do podcast estão extremamente corretos.

      Abraços Verdadeiros.

      1. FERNANDO ALBUQUERQUE

        Nao cara, foi dito no inicio do podcast. Felizmente a gente tem oportunidade de pesquisar na internet e descobrir erros ou mentiras, ja os coreanos do norte …. Yeonmi Park, Hyeonseo Lee e direitos humanos mandam uma abraço.

    1. Mas a questão não é essa, e sim maximizar a produção, usando a tecnologia, para todos fazerem menos. Se pensarmos, o que um barbeiro, mesmo que um opção, ajuda a gente? Isso me faz pensar, o tanto de coisas que nos emburram, para consumirmos, ou melhor dizendo, mostrando que é bom consumir e quem não vive, sei lá como, em um mundo pior que a Coreia do Norte, no sentido que você está dizendo, pois tem o bolo na sua visão e opção e não pode nem experimentar, isso, para mim, não é humano.

  3. Oi pessoas lindas, adorei o cast, mais tenho uma duvida, acho que acadêmica, pois passei a vida inteira ouvindo o oposto da Coreia do Norte, estou em choque ainda, com tanta informação, e que ponto somos manipulados, etc, mas a minha dúvida dos dados positivos da Coreia (a melhor), das quais eu acredito, é quais são as fontes dessas informações, apesar da ignorância ser uma “benção”, depois de hoje preciso beber de outras fontes. Obrigado

  4. Pingback: #PodcastFriday 19/04/2018 – Podosfera – Ouça Mais Podcasts

  5. Olá pessoal, Parabéns pelo trabalho, é um dos meus podcasts favoritos! Sempre com muita informação e sem perder a ternura! Hahahaha
    Gostaria de saber qual o nome da música que toca no final do podcast sobre a Coreia do Norte! Quase tive um orgasmo ouvindo ela vindo pra faculdade hahahahahaha

  6. Prezados,

    Sou ouvinte do decrépitos e anticast e caí de paraquedas por conta do Joao.

    Fiquei surpreso ao constatar que há uma defesa acrítica dos governos socialistas/comunistas.

    Com o avançar do programa, pude perceber que os participantes realmente acreditam que tudo é justificável em nome do socialismo/comunismo.

    Na minha percepção, os fins não justificam os meios.

    A liberdade não deveria ser uma moeda de troca, ainda que em nome de uma sonhada utopia social.

    Embora seja compreensível os propósitos propagandísticos do programa, tenham em mente que a defesa proposta acarreta no mesmo mal que a tão alardeada fake News produz.

    Além de alienar os mais desavisados, ela também pode levar ao descrédito do próprio programa.

    Tomem cuidado para que esse podcast não deixe de ser um fórum para reflexão e debate sobre temas tão importantes, para virar um mero veículo de propaganda de uma ideologia.

    Abs

  7. Eu me achava anarquista. Mas um dia eu entendi que uma sociedade sem estado exige um povo amadurecido, mas havendo um povo amadurecido, a presença ou não de um estado é irrelevante. Eu já estava quase cantando “Ideologia, eu quero uma pra viver”. Mas ai apareceu o revolushow 17. Eu acho que me encontrei. ME RECOMENDEM LITERATURA, POR FAVOR.

  8. poxa, nao sei…
    acho que toda informação que vem da coreia pra gente tem que ser olhada com muuuuita cautela. O fato de vocês não tocarem na questão dos supostos campos de concentração e outras acusações de violações de direitos humanos me fez perder um pouco a sintonia com o papo. Não que eu ache que essas acusações sao verdadeiras ou falsas, só acho que sao acusações sérias e que não podem ser ignoradas, se consideramos o meu primeiro ponto.

  9. Voltando um ano depois, mais estudado, pra dizer que a luta de classes também é ideológica e que essas acusações são, em grande medida, ataques cínicos perpetuados por aparelhos privados de hegemonia.
    Valeu, Revolushow, por mais um episodio sensacional!

  10. Pingback: Coreia: da Gênese à Separação. – Capivara Acadêmica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.