Revolushow 9 - Queermuseu: a treta - Revolushow
372
post-template-default,single,single-post,postid-372,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-revolushow,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Revolushow 9 – Queermuseu: a treta

2 Comments
  • O Hipocrisista (@hipocrisista)
    Posted at 11:20h, 18 setembro Responder

    Eu vou discordar do fato de tratar o dinheiro do Santander, utilizado no Queermuseu, como “dinheiro público”. Como apontou o Poderoso Porco, esse dinheiro era e foi direcionado pelo Santander e o Estado entra apenas em um momento: o de orientar a aplicação daquele dinheiro em troca da isenção concedida.

    Quando o Estado isenta alguém de algum tributo, ele está abrindo mão completamente de redistribuir aquela riqueza de forma direta, no entanto ele orienta que essa redistribuição ocorra de alguma forma, nesse caso, nos termos da Lei Rouanet. Esse dinheiro não passa (e não passou) na mão do Estado, ele, na verdade, nem sai do Santander, uma vez que o banco se vale desse artifício para promover, valorizar e capitalizar a marca e, com isso, ampliar seu mercado.

    Você pode até dizer que o Estado, através desse incentivo, está intervindo na Economia. Sim, está, mas o dinheiro ali não é público, pois nunca foi recebido pelo Estado – gestor dos recursos públicos por definição. Esse é, precisamente, o que a Priscila fala logo depois ao citar o Alysson Mascaro. Me parece que houve uma confusão em identificar onde e como o Estado atuou nessa situação.

    Agora, tangenciando esse ponto ainda, como o banco conseguiu a isenção e, depois, a cancelou, vai pagar o imposto devido ao Estado? Até agora, o banco não perdeu nada, ao contrário, ganhou a isenção e não promoveu a exposição.

  • metralhadora de fúria hoje, aguentem. - Pistolando Podcast
    Posted at 11:41h, 03 setembro Responder

    […] longo prazo é nenhuma. E além de tudo isso ainda temos a ameaça da moral e dos bons costumes. A treta do Queer Museum foi uma das tantas que ilustram claramente o retrocesso mental desse país. A simples existência […]

Post A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.